Category Archives: Edgar Allan Poe

O Coração Delator – Conto de Edgar Allan Poe

É verdade! nervoso, muito nervoso, terrivelmente nervoso fui e sou; mas por que motivo hão de dizer que eu sou doido? A doença havia apurado os meus sentidos, não os havia destruído, não os havia embotado. O que em mim suplantava todos os mais sentidos era a acuidade do ouvido. Ouvia tudo o que ocorria,… Read More »

O Demônio da Perversidade – Conto de Edgar Allan Poe

No exame das faculdades e das tendências — os móbeis primordiais da alma humana — os frenólogos esqueceram-se de conceder lugar a uma propensão que, embora evidente como sentimento primitivo, fundamental, irredutível, foi igualmente omitida por todos os moralistas que os procederam. Na absoluta autossuficiência da nossa razão, todos nós a temos omitido. Permitiu-se que… Read More »

Os Crimes da Rua Morgue – Conto de Edgar Allan Poe

As faculdades de espírito que se definiram pelo termo “analíticas” são elas próprias muito pouco suscetíveis de análise. Não as apreciamos senão pelos seus resultados. O que sabemos, entre outras coisas, é que elas são para aquele que as possui num grau extraordinário uma das mais intensas fontes de prazer. Do mesmo modo que o… Read More »

Pequena Discussão com uma Múmia – Edgar Allan Poe

O simpósio da noite precedente tinha-me estafado os nervos. Doía-me horrorosamente a cabeça, e eu caía de sono. Em lugar de passar a noite fora, como fazia tenção, pensei que era melhor jantar e meter-me imediatamente na cama. Um jantar ligeiro, já se vê. Adoro os assados temperados com queijo, mas comer mais de uma… Read More »